Travessa Larga

" TRAVESSA: rua estreita e curta que estabelece comunicação entre duas ruas principais. " - - Por vezes pode ser larga...

Nome:
Localização: S.Maria, Sintra, Portugal

quinta-feira, junho 15, 2006

STOP


Cem palavras. O número certo para um texto, num desafio que o DN, por vezes, nos fazia.
E são Cem as palavras no post número 100. De despedida.
A aventura "Travessa Larga" chega ao fim porque deixaram de fazer sentido o nome e o espirito que a criaram.
Faz hoje um ano que iniciámos a entrada na blogsfera, com outra designação. Muitos blogues acabaram, assim como nos deixou um Bom amigo. Fernando B. do " Fraternidade " foi a ajuda preciosa nos momentos dificeis quando a ele recorremos.
Um dia voltaremos. Com outras ideias mas sempre com a mesma vontade: ser solidário.

segunda-feira, junho 12, 2006

Perdidos&achados


Senhores, estou farto! Assim «cantava» numa das suas rábulas Raul Solnado, há muitos anos. Estou farto da presença da Selecção Nacional, no mais recôndito cantinho do meu dia-a-dia! Ainda agora a procissão vai no adro e já não há manifestação de vida, neste país, que não seja patrocinadora da «nossa selecção». Da cerveja aos preservativos, passando pela banca, pela Assembleia da República ou pelos transportes públicos, nada tem existência verdadeira se não estiver associado à «equipa de todos nós».
Serei um proscrito, depois de escrever estas linhas. Blasfemo tornar-me-ei, ao não entoar o cântico da conquista! Traidor à pátria, ao dizer que já não aguento mais ouvir mencioná-la a reboque do pontapé na bola. Ignorante, chamar-me-ão por não ser capaz de perceber que a Selecção Nacional de Futebol se encontra em sétimo lugar (julgo eu) no ranking da FIFA e que tal significa sermos dos melhores países do mundo na indústria do futebol. Mal-intencionado, classificar-me-ão, por dizer que essa posição ocupada não é uma resultante directa do «volume da produção interna», mas sim das mais-valias que os emigrantes de eleição vão buscar fora de portas. Dir-me-ão que, à escala mundial, só no ramo da cortiça temos projecção semelhante - até que o plástico queira... Sobranceiro e petulante, recriminar-me-ão, ao afirmar que me recuso a colocar à janela a bandeirinha demonstrativa de, cá em casa, não sermos alemães, iranianos, espanhóis, americanos ou ucranianos.
Não quero colaborar na intoxicação geral, aceitando a ideia de Portugal ir ganhar (quase de certeza) o campeonato e, com isso, recuperarmos o orgulho ferido e a confiança no futuro. Já houve quem dissesse irmos «lançar a marca Portugal à escala planetária», mostrando ao mundo aquilo que somos capazes de fazer. Não se pode, hoje, embarcar em pantominices destas, tal como muitos outros, tempos atrás, não embarcaram, décadas a fio, quando alguns pretendiam que a nossa vida se cingisse a «Família, Fátima e Futebol».
Paranóia é uma designação possível para aquilo que se vive, agora, por cá. Quase parece estar-se a colocar nos pés da rapaziada - «os nossos valorosos guerreiros» - a possibilidade de resgatarem a «alma lusa» e conquistarem o nosso amanhã radioso em terras germânicas!
Serei, talvez, o português mais rasca do mundo; mas de uma coisa não aceito ser acusado. De não gostar de futebol. Na vida, não são muitos os estímulos que me fazem vibrar com uma arrancada do Figo, um passe do Deco, uma bomba do Petit, uma finta do Ronaldo, uma trivela do Quaresma e, ainda e sempre, um voo do Baía ou uma simulação do Barbosa. Mas são, apenas, bombons saborosos. Mesmo que, daqui a umas semanas, alguns deles me ofereçam uma caixa de chocolates inteirinha, vou continuar a comer sopa todos os dias...

Vasco Prazeres - Domingo Magazine, DN, 11 Junho 2006

quarta-feira, junho 07, 2006

APELO


Não foi fácil começar este post. Por isso o meu dono me pediu para o fazer...
Por motivos graves de saúde (não minha que estou em forma) vou ter que abandonar a minha casa. É uma decisão muito difícil mas tive que aceitar. Os anos que passei com eles foram bons mas ultimamente já não têm as atenções a que me habituei. E eu compreendo as razões (embora muitos pensem que nós não raciocinamos...).
Eles não me vão abandonar. Nem entregar num canil onde acontecería sabe-se lá o quê... Apenas pedem que alguém que goste MUITO de animais, tome conta de mim. Prometo ser fiel. Como tenho sido até aqui. Quando tiver saudades- e vou ter muitas, eu sei - talvez haja visitas. Com as novas tecnologias talvez possamos até trocar uns " mimos ".
(E mais não posso dizer sem começar prá aqui a chorar...)
Simão

terça-feira, junho 06, 2006

Cervo



Apêndices ( Hastes e caudas)

domingo, junho 04, 2006

Mergulho






Burocracia...cara.

Repartição de Finanças.

Um destes dias necessitei de uma certidão confirmando que certo acto administrativo tinha sido efectuado e dentro do prazo legal. Para tal, em primeiro lugar preenchí um impresso destinado a 17 assuntos diferentes mais um para diversos. Entregue o pedido, o funcionário confirmou no sistema informático o pretendido e passou um recibo. Que tinha:
A. EMOLUMENTOS DOS SERVIÇOS DE IMPOSTOS
- Verba nº 1 Buscas € 1.78
- Verba nº 5 Certidões ou fotocópias € 1.78
B. REEMBOLSOS
- 2.1 Fotocópias € 0.45
C. TOTAL DE ENCARGOS (A+B) € 4.01
Confirmado o pagamento, levantei a certidão, agradecí e despedi-me.


Agora algumas questões:
Que buscas foram efectuadas para além da consulta no sistema? Não é um valor muito elevado?
Passar uma certidão, impressa no sistema, colocar selo branco, custa + € 1.78 ?
Se não houve nenhuma intervenção de fotocopiadora porquê cobrar 45 cts por fotocópias ?
(que numa loja especializada de um centro comercial custam no máximo 15 cts/un)
€ 4.01 não é uma fortuna mas antigamento eram 803$93. Alguém me explica a razão destes valores?

P.S. Durante este procedimento demorei 48 minutos e passei por 3 senhas- rosa, amarela e branca. Felizmente, a simpatia e atenção do funcionário foram excelentes.

quinta-feira, junho 01, 2006

Crianças



Fotos da " Net "
1 de JUNHO

DIA MUNDIAL DA CRIANÇA